segunda-feira, 4 de julho de 2016

NORMAN R. MADARASZ                                              

About myself


I studied philosophy, logic and literature at McGill University. After that, I did my graduate studies at Vincennes University (Université Paris VIII- Vincennes à Saint-Denis). My PhD dissertation was supervized by Alain Badiou and defended in 1999. In 2005, I was awarded a Foreign Visiting Scholar Fellowship from Brazil’s Capes Foundation to lecture at the graduate program in philosophy of Universidade Gama Filho in Rio de Janeiro for two years. Since 2012, I am professor of philosophy and of French literature at PUC-RS (Pontifical Catholic University of Porto Alegre, Rio Grande do Sul state, Brazil). I am the author of O Múltiplo sem Um. Uma apresentação do Sistema filosófico de Alain Badiou, as well as O Realismo estruturalista: sobre o intrínseco, o imanente e o inato.  I have edited six books, and am one of the editors of one of Brazil’s leading philosophical periodical, Veritas.


Current position:
Professor of Philosophy, Department of Philosophy
Professor of contemporary French literature, Department of Literature and Linguistics
Catholic University of Rio Grande do Sul 
(PORTO ALEGRE: PUC-RS)
http://www.pucrs.br/

Main interests: Contemporary French Philosophy, Structuralism, Biolinguistics. (Badiou, Foucault, Chomsky), in addition to Marx and cutting edge aesthetics.

Current research: neurophilosophy, biolinguistics, generic subjectivity.

CV: Full CV on the site of the Brazilian Center for Scientific Research (CNPq):


Selected Publications

BOOKS:

. O Realismo estruturalista: sobre o intrínseco, o imanente e o inato. (Forthcoming, 2016)

. O Múltiplo sem Um. Uma apresentação do Sistema filosófico de Alain Badiou. São Paulo: Editora Ideias e Letras, 2011.


BOOK TRANSLATIONS:

. Alain Badiou, Briefings on Existence. A Short Treatise on Transitory Ontology. 1. ed. Albany, NY: State University of New Press (SUNY), 2006.

. Alain Badiou, Manifesto for Philosophy. 1. ed. Albany, NY: State University of New York Press, 1999.


Edited Dossiers in Periodicals

. Realismo ontológico, matemática e lógica. Veritas 61 (2) 2016. (Forthcoming) 

. Filosofias da Biologia: Veritas 60(2) 2015. 2015.

. Sistema e Ontologia na Filosofia Francesa Contemporânea (II). Veritas, 59(2) 2014

. Sistema e Ontologia na Filosofia Francesa Contemporânea. Veritas, 58(2) 2013



PAPERS AND CHAPTER CONTRIBUTIONS TO EDITED VOLUMES

. Genericidade e sexuação: a teoria do sujeito genérico em Badiou (forthcoming)

. Foucault: a dispersão recolhida e sistemática (forthcoming)


Saldo Devedor: sobre dívida, justiça e política. In: BAVARESCO, Agemir; LIMA, Francisco Jozivan Guedes de. (Org.). Direito e Justiça: Festschrift em homenagem a Thadeu Weber. 1ed.Porto Alegre: Editora Fi, 2016, pp. 601-628.

. The Biolinguistic Challenge to an Intrinsic Ontology: Badiou, Hegel, Chomsky. In: Jon Vernon; Antonio Calcagno. (Org.). Badiou and Hegel : infinity, dialectics, subjectivity. 1ed.London, England: Lexington Books (The Rowman & Littlefield Publishing Group), 2015, v. 1, p. 123-154.

. Uma genealogia não tão distinta: a “lógica matemática” vista a partir do sistema filosófico de Alain Badiou. In: Agemir Bavaresco; Jerônimo Milone; André Neiva; Jair Tauchen. (Org.). Filosofia na PUCRS: 40 anos do Programa de Pós-Graduação em Filosofia (1974 - 2014). 1ed.Porto Alegre: Editora Fi/EDIPUCRS/Série Filosofia, 2014, v. 1, p. 193-230.

. Love in the Time of the Communist Hypothesis. In: Marios Constantinou. (Org.). Badiou and the Political Condition. 1ed.Edinburgh, Great Britain: Edinburgh University Press, 2014, v. , p. 187-211.

. Formalismo e Subjetividade: O Conceito de Transformação. In: XII Semana Acadêmica do PPG em Filosofia da PUCRS, 2013, Porto Alegre. Semana Acadêmica do PPG em Filosofia da PUCRS. Porto Alegre: Edipucrs, 2013. v. 12. p. 1-15.

. A ética em Alain Badiou e a sua fundamentação ontológica. In: Bavaresco, Agemir; Evandro Pontel; Francisco Jozivan Guedes de Lima. (Org.). Projetos de filosofia III. 3ed.Porto Alegre: EDIPUCRS (Serie Filosofia), 2013, v. , p. 130-158.

. A Superação da Ontologia Fundamental de Heidegger pela Filosofia em Sistema de Alain Badiou. Ensaios Filosóficos, v. 4, p. 93-119, 2011.

. Constitutional Patriotism and the Post-Secular Society: on the Question of “reasonable accommodation” in Quebec. Diversitates, v. 1, p. 1-26, 2010.

. Esfera Pública e secularismo no conceito de “Immanent Frame” em Charles Taylor. Ethica (UGF), v. 17, p. 93-113, 2010.

.The Secularist Counter-Narrative in Charles Taylor's Philosophy of Religion. Ethica (UGF), v. 16, p. 81-112, 2009.

. L'Horizon du langage logique : L'application du concept figural du tisser chez Ludwig Wittgenstein. In: Alessandro Pimenta. (Org.). Poliedro: Faces de Filosofia. Rio de Janeiro: Publit Soluções Editoriais e PPGFIL-UGF, 2006, pp. 155-191.

. On Alain Badiou's treatment of Category Theory in view of a Transitory Ontology. In: Gabriel Riera. (Org.). Alain Badiou: Philosophy And Its Conditions. Albany, NY: Suny Series, Intersections: Philosophy and Critical Theory, 2005, pp. 23-43.


Extended Prefaces

. Literatura e Filosofia: prefácio. In: Ricardo Timm de Souza; Norman Roland Madarasz; Anna Lisboa de Mello. (Org.). Literatura e Filosofia: Encontros contemporâneos. 1ed.Porto Alegre: Gradiva Editorial, 2015, v. 1, p. 7-18.

. Apresentação do dossiê: Filosofias da biologia, Veritas, v59n2, 2015, pp. 199-206.

. Apresentação do dossiê: Sistema e Ontologia na Filosofia Francesa Contemporânea (II), Veritas, v59n2.  2014, pp. 223-209.

. Marxismo e Filosofia Contemporânea, in Roberto Ponciano, Marxismo e filosofia contemporânea. Rio de Janeiro, 2014.

. Apresentação de 'Ontologia e Sistema na filosofia francesa contemporânea', Veritas, vol. 58 (2) 2013, pp. 211-217.


Seminar Topics for 2016

2016/1
.History of Contemporary Philosophy (undergraduate program in philosophy)
.Other Systems: Leibniz's New System of Nature, Marx's Capital, Chomsky's Universal Grammar, Paul Churchland's Eliminativism (System and Structure VI, graduate seminar in philosophy)
.The Nouveau Roman and Structuralism (graduate seminar in literature)

2016/2
.History of Contemporary Philosophy II (undergraduate program in philosophy)
.Ethics (undergraduate program in philosophy)
.From Phenomenology to Phenomeno-logic: Husserl, Derrida, Badiou (System and Structure VII, graduate seminar in philosophy)

Grupo de pesquisa CNPq: Sistema e Estrutura: da Ontologia matemática à biolinguística: monthly meetings for the production of an e-book on Michel Foucault's philosophy.

quinta-feira, 5 de março de 2015

Programa de Pós-Graduação em Filosofia
PUCRS
Porto Alegre

Seminário

SISTEMA E ESTRUTURA IV
REALISMO MATÉMATICO OU CONSTRUTIVISMO GRÁFICO?

BADIOU CONTRA DELEUZE
Prédio 40 3o andar
1o Encontro: 12 de março de 2015


DESCRIPÇÃO:
Entre as filosofias confluentes com as teses da epistemologia francesa, antes da articulação da ontologia matemática no sistema de Alain Badiou, houve a filosofia do acontecimento e da multiplicidade de Gilles Deleuze. A transformação articulada por Badiou da filosofia de Deleuze marca um momento decisivo pelo contexto da consolidação da ontologia francesa do século vinte, inclusive o da sua refutação da ontologia fundamental de Heidegger. Neste seminário, pretende-se examinar a filosofia de Deleuze por meio da contestação e da mobilização sistemáticas articuladas por Badiou.

OBJECTIVOS
O livro publicado por Alain Badiou em 1997, Deleuze: o Clamor do Ser, despertou um dos debates mais vigorosos na filosofia francesa dos anos 1990. Encontra-se uma reivindicação ontológica baseada sobre o realismo que veio contestando a capacidade da filosofia deleuziana a realizar o projeto de criar uma filosofia da multiplicidade. A partir da perspectiva ontológica, o argumento de Badiou, segundo o qual a multiplicidade em Deleuze contém um retorno latente da figura do Um/Uno, é coerente. Desta forma, o realismo intrínseco confirma-se por ter a palavra verdadeira sobre a multiplicidade. Porem, nada é menos certo quando avalia-se a fenômeno-ontologia desenvolvida em Logiques des mondes, de 2006, onde a contribuição deleuziana circula incessantemente.
Num primeiro momento, abordaremos a leitura feita por Alain Badiou da obra deleuziana em na articulação da ontologia matemática intrínseca e da disputa desencadeada pelos deleuzianos. Se o confronto com a obra deleuziana leva a afirmar a coerência da ontologia de Badiou, afirmação que se deve já a uma incompreensão feita por Deleuze (e Guattari) em O que é a filosofia? sobre L’Être et l’événement, esta mesma filosofia auxiliou Badiou a compor a dimensão fenomenológica do sistema. A filosofia deleuziana engaja com uma construção topológica que encontra as falhas da teoria do sujeito fenomenológico por meio de uma análise inovadora dos modos de aparecer, cujos modelos são provenientes tanto da filosofia moderna quanto de interpretações da matemática de A. Grothendieck. A partir da perspectiva deleuziana, uma fenomenologia do sujeito já implique a figura do Um/Uno. Em Logiques des mondes, mesmo se Badiou optará por uma fenomenologia “objetiva" e “calculada”, em que não há sujeito manifesto antes de rupturas radicais nas práticas discursivas, o contexto da superação é deleuziano.
Num segundo momento, abordaremos a obra de Deleuze nas ramificações e, especialmente, nas desmedidas que o sistema de Badiou deixa de capturar. As perspectivas encontradas neste debate retomam duas propostas pelas quais se organizam as teorias da fundamentação da matemática, a saber, a teoria dos conjuntos, no caso de Badiou, e a teoria das categorias e dos topoi, no caso de Deleuze.

BIBLIOGRAFIA PRINCIPAL:

Obras de Alain Badiou

Manifesto pela filosofia, RJ: Aoutra, 1991.
Conditions Paris: Éditions du Seuil, 1992.
Para uma nova teoria do sujeito. [PNTS] Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

Ética, um ensaio sobre a consciência do mal, RJ:Relume Duramará, 1995.
O ser e o evento RJ:Jorge Zahar Editor, 1996.
Lacan antifilosofia e o real como ato in Colóquio de psicanálise e filosofia – Sujeito e linguagem, RJ:Livraria e editora Revinter Ltda, 1997.
Da Vida como Nome do Ser. In.  ALLIEZ, Eric (org). Gilles Deleuze: uma VidaFilosófica. São Paulo: Editora 34, 2000. (p. 159-167)

Deleuze. O Clamor do Ser  Rio de Janeiro: Zahar, 1997. 154 p.

Breve Tratado de ontologia transitória, Lisboa:Instituto Piaget, 1999B.
Conferências de Alain Badiou no Brasil. [CB] Belo Horizonte: Autêntica, 1999.
“Um, multiples, multiplicité(s)”, in Multitudes, (1):195-211 (2000)

Pequeno manual de inestética, SP:Editora Liberdade, 2002.
Lacan e Platão: o matema é uma idéia? in Um limite tenso Lacan entre a filosofia e a psicanálise SAFATLE, W. (Org) SP:Editora USP, 2003A.

Logiques des mondes. L’Etre et l’événement 2. [LM] Paris: Éditions du Seuil, 2006a.
Mathematics and Philosophy. In: S. Duffy (ed.). Virtual Mathematics. The Logic of Difference. Manchester, UK: Clinamen Press, pp. 12-29, 2006b.

Oito Teses sobre o Universal. [OTU] In: Revista Ethica. Cadernos acadêmicos. Trad. N. Madarasz. vol. 15 (2), pp. 41-50, 2008.

Second Manifeste pour la philosophie. [MP2] Paris: Fayard/Ouvertures, 2009.

Le Fini et l’infini. Paris: Bayard, 2010.

L’Aventure de la philosophie française contemporaine. Paris: Ed. De la Fabrique, 2012.

Tho, Tzuchien. New Horizons in Mathematics as a Philosophical Condition. Parrhesia. Translated with an introduction by Tzuchien Tho, n. 3, pp. 1-11, 2007.

Obras de Gilles Deleuze
Bergsonismo. São Paulo: Ed. 34, 1999.
Conversações. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.
Crítica e clínica. Rio de Janeiro: 34, 1997.
Diferença e repetição. Rio de Janeiro: Graal, 1998.
Empirismo e subjetividade. São Paulo: 34, 2001.. Espinosa. Filosofia prática. São Paulo: Escuta, 2002..
Foucault. Lisboa: Veja, [1987].. Imagem-tempo. São Paulo: Brasiliense, 1990.
Nietzsche
Cinema
A Dobra
Lógica do sentido

Com Feliz Guattari
 O Anti-Édipo. Rio de Janeiro: Imago, 1976.
Kafka, por uma literatura menor. Rio de Janeiro: Imago, 1977.
O que é filosofia? Rio de Janeiro: 34, 1992.
Mil platôs. Ano zero. Rostidade. Volume III. Rio de Janeiro: 34, 1996.
Mil platôs. Introdução: Rizoma. Volume I, Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.
Mil Platôs Postulados da Lingüística. Volume II. Rio de Janeiro: 34, 1995.
Mil platôs. Devir-Intenso, Devir-Animal, Devir-Imperceptível. Volume IV. Rio de Janeiro: 34, 1995.
Mil platôs. Tratado de nomadologia: a máquina de guerra. Volume V. Rio de Janeiro: 34, 1995.

Com C. Parnet. Diálogos. São Paulo: Escuta, 1998

Bibliografia complementar

Antti Veilahti.  Alain Badiou's Mistake --- Two Postulates of Dialectic Materialism.  Math arXiv:1301.1203v22013, 2013.

Benaceraff, P.; Putnam, H. (ed.). Philosophy of Mathematics: Selected Readings. Londres: Cambridge University Press, 1983.

Cantor, G. Fondements d’une théorie générale des ensembles. (trad. colletive). Cahiers pour l’analyse, 10, pp. 35-52, 1969.

Chateaubriand, Oswaldo. Lógica e Ontologia. In: Bonaccini, J. A. et al. (org.). Metafísica, história e problemas. Atas do I Colóquio Internacional de Metafísica. Natal: UFRN, 2006. pp. 247-261.

Cohen, P. Set theory and the continuum hypothesis. Nova York: Benjamin, 1966.

Costa, Newton C. A. da. Conhecimento científico. São Paulo: Discurso Editorial, 1999.

Costa, Newton A. C.; Bueno, Otávio. Lógicas não reflexivas. Cosmos e Contexto, n. 7, 2012.

Desanti, J.-T. Quelques remarques à propôs de l’ontologie intrinsèque d’Alain Badiou. Les Temps modernes, n. 526, pp. 61-71, mai 1990.

Dummett, M. Wittgenstein’s Philosophy of Mathematics. Philosophical Review, n. LXVIII, 1959.

Duffy, S. (ed.). Virtual Mathematics. The Logic of Difference. Manchester, UK: Clinamen Press, 2006.

Fraser, Z. The Law of the Subject: Alain Badiou, Luitzen Brouwer and the Kripkean Analyses of Forcing and the Heyting Calculus. Cosmos and History: The Journal of Natural and Social Philosophy, vol. 2, n. 1-2, 2006.

Gödel, K. The consistency of the axiom of choice and the generalized continuum hypothesis. Proceedings of the National Academy of Sciences (U.S.A.), 24, pp. 556–557, 1938.

Grattan-Guinness, I. The Search for Mathematical Roots (1870-1940). Logics, Set Theories and Foundation of Mathematics from Cantor to through Russell and Gödel. Princeton, NJ: Princeton University Press, 2000.

Grothendieck, A. Récoltes et sémailles: réflexions et témoinage sur le passé d’un mathématicien. Montpellier : CNRS, 1986.

Jech, T. What is Forcing? Notices of the AMS, vol. 55, n. 6, pp. 692-693, Junho-Julho 2008.

Jurdant, Baudoin (org.). Impostures cientifiques : les malentendus de l’affaire Sokal. Paris: Éd. La Découverte/Alliage, 1998.

Kim, J. What are Numbers? Synthese, n. 190, pp. 1099-1112, 2013.

Livingston, P. The Politics of Logic. Londres: Routledge, 2011.

Madarasz, N. On Alain Badiou’s Treatment of a Transitory Ontology. In: Gabriel Riera (ed.). Badiou: Philosophy and its Conditions. Albany, NY: State University of New York Press, 2005.

Marquis, Jean-Pierre. Category Theory. In: Edward N. Zalta (ed.). The Stanford Encyclopedia of Philosophy (Edição Primavera 2011). .

McLarty, Colin. “The uses and abuses of the history of topos theory”, British Journal for the Philosophy of Science, 41 (1990) 351–75.
-------------- “The Last Mathematician from Hilbert’s Gottingen: Saunders ¨ Mac Lane as Philosopher of Mathematics”, in British Journal of Philosophy of Science. 58(1), 1997, pp. 77-112.

------------- Book review: Alain Badiou, Mathematics of the Transcendental, A. J. Bartlett and Alex Ling (trs.), Bloomsbury, 2014, in Notre Dame Philosophical Reviews.  09.31.2014. < http://ndpr.nd.edu/news/50591-mathematics-of-the-transcendental/> (Acessado: 7 de outubro de 2014.)

Nirenberg, Ricardo L.; Nirenberg, David. Badiou’s Numbers: A Critique of  Mathematics as Ontology. In: Critical Inquiry 37 (Verão 2011),  pp. 583-614, 2011.

Platão. Parmênides. Trad. Maura Iglesias. São Paulo: Editora Loyola, 2003.

Priest, G. An Introduction to Non-classical Logics. Londres: Cambridge University Press, 2001.

Prigogyne, I. e I. Stengers, A Nova Aliança – Metamorfoses da ciência. Brasília: UNB Editora, 1984.

Prigogyne, I. e I. Stengers. O Fim das Certezas : Tempo, Caos e as Leis da Natureza. São Paulo : UNESP Editora, 1996.

ROQUE, T. História da matemática. Uma visão crítica, desfazendo mitos e lenda. Rio de Janeiro, Zahar Editora, 2012.

Salanskis, J.-M. Philosophie des mathématiques. Paris: J. Vrin, 2008.
                                                                                                                                          
Silva, Jairo José da Silva. Filosofias da matemática. São Paulo: Editora UNESP, 2007.

Van Heijenoort, J. (ed.). From Frege to Gödel. Cambridge, Mass.: Harvard, 1967

quarta-feira, 12 de março de 2014

PUCRS 2014/1: PPGFil

SÉMINAIRE: FOUCAULT: L’OEUVRE CONTINUE 

Dr. Norman Madarasz et Dr. Nythamar de Oliveira

 Batiment 32, Salle 205. Les mercredis 14h00-16h40.

2014/2  Em português:

Norman Madarasz

Prédio 40 Sala 515, nas quintas, das 14h00 às 16h45.



DESCRIPTION DU SÉMINAIRE
Dans les trente années depuis la mort de Michel Foucault, l’oeuvre de l’auteur des Mots et les Choses est sousmise à de divers découpage, montage, déconstruction, réfutation, relativisation et minoration, quand il ne s’agit pas de simple tentatives d’effacement. Pourtant, l’oeuvre continue de servir de modèles pour maintes orientations de pensée et de savoir. Son nominalisme externaliste met à défi la refonte des projets de fondation ontologique du penser ; son historicisme vient non pas tant à exposer la conscience et les énoncés du vrai comme autant d’effets d’un régime conceptual soumis à la finitude radicale, que attester de la difficulté à cerner l’énonciation inconsciente des catégories de la subjetivation ; et son recoupement de l’histoire de la philosophie écarte la pratique théorique entre une science du discours et une éthique positiviste de la division du vrai. Ces orientations font de l’oeuvre de Foucault un défi pour un dépassement de la philosophie par un discours post-humaniste encore en recherche de son nom, discours qui ne peut faire l’économie d’un rejet des propositions institutionnelles dont l’objectif est de neutraliser par absorption la puissance critique que la philosophie tient sur l’avenir de la science et de son application à la vie biotechnicisée. L’oeuvre appelle ainsi à une saisie continue.

OBJECTIFS:

Ce semestre, le Programa de Pós-Graduação em Filosofia de l’Université Catholique de Porto Alegre (PUCRS) a l’honneur de présenter le séminaire de 2e et 3e cycle en langue française dédié à l’oeuvre de Foucault, sous la direction des professeurs Nythamar de Oliveira et Norman Madarasz. L’objectif en est de reprendre rigoureusement et en détail la progression de l’oeuvre de Foucault en tant que projet expansif de recherche, depuis la critique des institutions de l’asile, de l’hôpital psychiatrique et de la clinique, du tout début de l’oeuvre,  jusqu’aux prisons et la biopolitique, depuis l’analyse structurale des sciences humaines et une linguistique de l’inconscient jusqu’aux thèses sur la gouvernamentalité et la prévision d’une nouvelle subjectivité des plaisirs au-delà de la morale et de la culpabilité.

PROGRAMMATION

12/03 Présentation du cours, des objectifs et des projets de recherche : Prof. Norman et Prof. Nythamar

19/03 Prof. Nythamar: M. Foucault, "Introduction à l’Anthropologie de Kant" / Dits et écrits: "Qu'est-ce que les Lumières?" (1984)

26/03 Prof. Norman: Naissance de la Clinique, et la critique de la phénoménologie.

2/04 Prof. Nythamar: Foucault et l'École de Francfort (Théorie Critique: Jürgen Habermas); J. Habermas, Le discours philosophique de la modernité

9/04 Pas de rencontre

16/04 Prof. Norman: L’Archéologie du Savoir (169) science, linguistique.

23/04 Prof. Nythamar: M. Foucault, Dits et écrits: "Bio-histoire et bio-politique"(1976), "Subjectivité et vérité (1981), "A propos de la généalogie de l'éthique" (1983), "Les techniques de soi" (1982); Judith Revel, "Michel Foucault: repenser la technique"

30/04 Prof. Norman: Hommes infâmes et vies parallèles. Critique du sujet, de l’homme, de l’auteur et de l’identité.

7/05 Prof. Nythamar: Sécurité, Territoire, Population (1977-78); Naissance de la biopolitique (Cours 1978-79)

14/05 Prof. Norman: Le corps et le sexe: critique du matérialisme. Histoire de la sexualité. La recherche parallèle de Peter Brown dans Le Renoncement à la chair. (Body and Society).

21/05 Prof. Nythamar: L'Herméneutique du sujet (Cours 1981-82)

28/05 Prof. Norman: Hétérotopie, altérité, homosexualité. D. Halperin, Saint Foucault. Towards a Gay Hagiography. (1997)

4/06 Prof. Nythamar: Le Gouvernement de soi et des autres (Cours 1982-83)

11/06 Prof. Norman: Reprise du modèle deleuzien de Foucault. G. Deleuze, Foucault (1986)

18/06 RECESSO FIFA
25/06 RECESSO FIFA

2/07 Prof. Nythamar: Foucault et l'École de Francfort (Théorie Critique: Axel Honneth)
A. Honneth, The Critique of Power (Kritik der Macht), Pierre Bourdieu; Sur l'État

9/07 Prof. Norman: Folie, Déraison, “maladie mentale”, Folie, psychatrie, psychanalise. 

PUCRS 2014/1: PPGFil
Porto Alegre
Quintas 14h00-16h40 – Prédio 40 Sala 515

SISTEMA E ESTRUTURA II 
 As Condições Artística e Amorosa no Sistema de Badiou: 
a exEstética na Filosofia Francesa Contemporânea  


EMENTA
No seguimento da análise da pretensão sistemática da filosofia na obra de Alain Badiou, aborda-se, no campo do Ser e acontecimento I (EE), a tese das condições da filosofia, especialmente as condições do poema (“arte”, em Ser e acontecimento II (LM)) e do amor. Ao lado das condições da política de emancipação e da matema (ou “ciência” em LM), a existência anterior das condições no que diz respeito à filosofia, organiza a decisão metodológica em favor de um “gesto platônico”. As condições são o terreno das práticas em que se desenham a produção da verdade, o que aventa que são as práticas que conduzem coletivamente a enxergar por onde, e os meios pelos quais, se manifestam os princípios fundamentais do ser e da existência. A aposta de Badiou, contudo, é afirmar que a ontologia geral é intrínseca e imanente às condições. A sua articulação é, nas melhores das circunstâncias, uma idealização, pois a ontologia é o que é intrinsicamente em comum às condições. Porém, não se trata apenas de isolar uma camada de regras, permanecendo e já existindo por meio da existência destas condições, mas articular pelos constrangimentos e pelas transformações que elas, e apenas elas, proporcionariam, pois são estas dinâmicas que evidenciariam as emergências subjetivas localizadas. A questão então é como entender um sujeito ontológico no poema/arte e no amor. O sujeito em questão é distribuído pelo acontecimento que o despertou, se manifestando como possibilidade local e relativamente num critério inconsciente. Portanto, no modo geral, busca-se compreender melhor a dimensão contingente da regulação das categorias do pensar, e, de modo localizado, a relação entre a estrutura e a forma específica das verdades produzidas por esta entidade subjetiva imersa nos contextos discursivos existenciais da arte e do amor.

OBJECTIVOS:
Na perspectiva de L’Être et l’événement, a noção de “sistema” implique um formalismo múltiplo que aponta a um realismo mais fundamental, sem dimensionalidade, cujo operador é a multiplicidade irredutível, ou seja o conceito de “conjunto”. A ontologia é sem dimensão porque é imanente às condições enquanto produtoras teóricas dispersas de novas formas de sujeito. Ora, um dos desafios para que a tese de sistema possa se verificar é a capacidade de lidar com conceitos e categorias que se justificam por uma ética ontológica. Porém, no período pós-existencial da filosofia francesa contemporânea, foi na prática da estética, isto é, em ramos inteiros da filosofia francesa, que se dispersou a possibilidade da ontologia entendida como plausibilidade de fundamentar a razão. A articulação de uma filosofia e de uma ciência pós-humanistas curiosamente abandonou a exigência de transformar a ciência, visando ao contrário a uma teoria estética, implicitamente motivada pela Teoria estética de T. W. Adorno. No contexto francês, esta orientação na filosofia despertou um espiral descendente, em que uma estética radicalmente crítica da sociedade capitalista se transformou em projeto de ampliação de um existencialismo pós-subjetivo, cujo principal foco era a superação do determinismo econômico evidenciado pela análise marxista do capital, mas que se esgotou na celebração dos prazeres e do sujeito como singularidade. Argumentara-se que este projeto acabou na indecidabilidade entre filosofia, arte e literatura, e, por conseguinte, conduziu a um quase colapso da filosofia no espaço francês. Pretende-se comparar o diagnóstico desta tensão na filosofia por meio da leitura da contribuição feita por Badiou à estética, tal como a de Rancière e da corrente crítico de Heidegger que se forma a partir da obra de Adorno.


CRONOGRAMA
13/03 APRESENTAÇÃO: INESTÉTICA/EXESTÉTICA: 
CONDIÇÃO DA FILOSOFIA ENQUANTO ARTE MATERIALISTA? Brecht, Godard, Althusser.
20/03 Não haverá aula (professor em mini-curso)
27/03 O SISTEMA DE BADIOU 

3/04 INESTÉTICA I
10/04 Não haverá aula (professor em mini-curso na Udelar)
17/04 feriado
24/04 INESTÉTICA II

1/05 Não haverá aula (professor em simpósio)
8/05  O SÉCULO
15/05 RANCIÈRE: MALESTAR NA ESTÉTICA
22/05  A CONDIÇÃO AMOROSA E O CORPO NOVO
29/05 RETOMANDO AS BASES: O SITUACIONISMO e A FUGA ESTÉTICA DA FILOSOFIA FRANCESA CONTEMPORÂNEA (Anos 1970-90)

5/06 TEORIA ESTÉTICA DE ADORNO I
26/06 TEORIA ESTÉTICA DE ADORNO II
3/07 O IMPASSE: A ESTÉTICA “DOMINADA” PELA FILOSOFIA?
10/07 BRECHT  

quarta-feira, 19 de junho de 2013

LÓGICAS DE TRANSFORMAÇÃO NA FILOSOFIA FRANCESA CONTEMPORÂNEA



ANO/SEMESTRE: 2013/2

PLANO DE DISCIPLINA
LÓGICAS DE TRANSFORMAÇÃO NA FILOSOFIA FRANCESA CONTEMPORÂNEA
PROFESSOR: Dr. Norman R. Madarasz
CRÉDITOS: 3   CARGA HORÁRIA: 45h   





EMENTA


O que eram -- o que são -- os principais conceitos da filosofia francesa contemporânea? Para que campo de problemas, de análises e de coerências, esta denominação tangencialmente histórica, remete-se? Nesta disciplina, se propõe a organizar os conceitos de corte epistemológica, alteridade, diferença, microfísica, multiplicidade e acontecimento como pertencentes a toda uma serie de transformações, ou mais especificamente de lógicas de transformação. Este seminário visa a estabelecer o perfil deste campo filosófico em movimento, cada vez mais em excesso da sua delimitação pelo tema do contemporâneo, e cujas formas mais recentes se concentram nos conceitos de multiplicidade e na construção de sistemas. No meio deste pensamento, encontra-se aprofundada a noção de mudança e de transformação por meio de um pensamento de sistema em cuja extensão se apresenta a ideia de processo, as estratégias para integrá-la, e com, se inscreve na relação entre lógica clássica e não clássicas
.




OBJETIVO


Esta cadeira visa à análise da produção filosofia na França em torno dos conceitos de transformação e de seleção, e suas consequências sobre a ética e a filosofia política. Visa mais especificamente à análise do projeto de uma ciência de transformação estrutural dos estados de vivência social que são de interesse para a filosofia. A ontologia criada por Alain Badiou e expressada na sua forma definitiva na obra L’ÊTRE ET L’ÉVÉNEMENT (1988; trad. bras. 1995) apresenta uma das mais importantes realizações desta ambição. No sistema de Badiou, encontramos uma ontologia formal do surgimento não dialético de novas formas de subjetividade. Mas este sistema refuta, integra e se justapõe a uma serie de teses variadas sobre a transformação, indo da fenomenologia dita naturalizada de J. Petitot até o estruturalismo formal de Lévi-Strauss. Portanto, se propõe a explorar as lógicas de transformação ética, política, estética e cognitiva, envolvidas em novas manifestações de subjetividade, e novas prescrições socioeconômicas.






CONTEÚDO:
Análise das lógicas de transformação na filosofia francesa contemporânea (Sartre, Lévi-Strauss, Althusser, Lacan, Foucault, Fanon, Derrida, Rancière, Badiou, Castoriadis, Gauchet) e em tradições vinculadas (Kuhn, Butler, Negri/Hardt) a partir dos textos originais em francês, e nas traduções, quando disponíveis, em português.




PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS:
As aulas serão expositivas, baseadas na seleção e na indicação de textos específicos e/ou documentos audiovisuais sobre o tema central. Serão convidados alguns pesquisadores de outros cursos da PUCRS (FAMECOS, FALE) para aprofundar as perspectivas variadas neste tema fundamental da filosofia francesa contemporânea




PROCEDIMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO:
A disciplina será estruturada em forma de seminário, e incluirá apresentações dos discentes. A avaliação será completada com a redação de um “paper” a partir da apresentação feita à turma e da discussão que foi despertada. Uma nota de participação será contemplada, quando pertinente.




BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

.AGAMBEN, G. (2009), O que é contemporâneo, e outros ensaios. Trad. Vinícius Nicastro Honesko. Chapeco, SC: Ed. Argos.
.ALTHUSSER, L. “Materialismo histórico e materialismo dialético”, in A. Badiou, L. Althusser, (1979) Materialismo histórico e materialismo dialético. São Paulo: Global Editora.
.BADIOU, A. Abrégé de métapolitique. Paris: Éditions du Seuil, 1998. [Trad. Portuguesa : Compendium de metapolitica.]
         .L’Aventure de la philosophie française contemporaine. Paris: Ed. De la Fabrique, 2012.
        .L’Etre et l’événement. Paris: Éditions du Seuil, 1988. [Trad. Brasileira : O Ser e o evento.]
.FOUCAULT, M. As Palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fonte.
.MANIGLIER, P. (org) (2011). Le Moment philosophique des années 1960 en France. Paris: PUF.
.RANCIÈRE, J. (1995) O Desentendimento. São Paulo: Editorai 34.